fbpx

Publicidade Nativa | Definição e Exemplos

As chances são muito boas de que, mesmo que não tenha percebido, você com certeza já viu exemplos de publicidade nativa.

Atualmente a publicidade nativa está em toda parte, e isso se torna cada vez mais difícil de detectar.

No artigo de hoje, vamos ver  a definição da publicidade nativa, por que ela pode ser tão poderosa e quão rentável pode ser para editores, marcas e consumidores no consumo desse modelo de publicidade que até agora não mereceu a atenção total no universo do marketing Digital.

O que é uma Publicidade Nativa – Native ADS

O que é uma Publicidade Nativa - Native ADS

Simplificando, “A publicidade nativa é uma forma de publicidade online que corresponde à forma e função da plataforma em que aparece.”

Agora, imagino que a pergunta que passa pela sua mente é, como um Native Ads difere de um anúncio? Bem, para ser considerado um anúncio nativo verdadeiro, o conteúdo deve estar alinhado com a publicação ou o estilo editorial e o tom estabelecidos no site, e também deve fornecer o tipo de informação que o público da publicação normalmente espera.

Essas qualidades são o fator que dificulta a identificação de anúncios nativos, pois eles se misturam muito bem com o conteúdo orgânico.

Isso torna ainda mais desafiador pelo fato de não haver regras ou diretrizes definidas sobre como os editores devem rotular os anúncios nativos, e os padrões de transparência variam muito de uma publicação para outra.

É importante notar também que a publicidade nativa não é necessariamente a mesma coisa que a “Publicidade de Conteúdo” “Content Advertising”. Infelizmente, a sobreposição entre essas duas categorias e sua semelhança no nome geralmente resultam numa confusão.

Por que a publicidade nativa é tão controversa ?

Este é um conselho de Eric Goeres, diretor de inovação da Revista Time, dito na recente Conferência da Contently.

Goeres falou durante a conferência. No qual o centro das atenções foi o tema da Publicidade Nativa. As palavras de advertência de Goeres se referem à confiança entre um editor e seu público alvo.

E ele enfatizou os perigos de irritar os leitores recorrendo a truques e enganos para ganhar dinheiro rapidamente.

As marcas e os anunciantes adoram anúncios nativos, principalmente por que as taxas de cliques tendem a ser muito mais altas do que os anúncios comuns, e o engajamento costuma ser muito mais forte.

No entanto, nem todos estão tão encantados com os anúncios nativos, especialmente os consumidores.

A federal Trade Commission já considerou implementar medidas regulatórias sobre as marcas que usam anúncios nativos para promover seus produtos, e a FTC também indicou que pode monitorar o mercado de perto para garantir que a publicidade nativa esteja sendo usada de uma maneira que beneficie os consumidores.

A Sociedade Americana de Editores de Revistas também pediu maior transparência e supervisão quando se trata de publicidade nativa.

A razão pela qual muitos editores veem a publicidade nativa como uma proposta arriscada. É potencial para esse tipo de conteúdo corroer a confiança do público.

Afinal, se o The New Times publica uma “História da Dell em troca de dinheiro, o Times pode relatar objetivamente sobre assuntos relacionados à Dell, ou todas as menções à empresa foram pagas? Esse é o dilema enfrentado pelos editores de hoje.

Por causa da natureza camuflada da publicidade nativa, muitas pessoas acreditam que ela é antiética.

Isso é compreensível quando você considera como a publicidade nativa começou. Como mencionei acima, antes de os padrões serem introduzidos, as empresas muitas vezes não informavam aos consumidores quando estavam sendo anunciados.

Então, as pessoas aceitaram endossos e recomendações pelo valor aparente e confiaram nelas, apenas para descobrir mais tarde que elas haviam sido deliberadamente influenciadas.

E ninguém gosta de ser enganado para comprar alguma coisa.

Ainda assim, a publicidade nativa parece destinada a continuar o seu curso normal, então, o que as empresas devem fazer?

“Não os engane. Não os ponha de lado. Disse; Eric Goeres

Assim, editores e marcas devem garantir que os consumidores não fiquem confusos sobre a intenção comercial por trás dos anúncios.

Porque feito corretamente, a publicidade nativa é uma via onde todos vão ganhar:

  • Os editores obtêm receita
  • Marcas são expostas
  • Os consumidores obtêm conteúdo altamente relevante e genuinamente valiosas

Estatísticas sobre o Native Ads

Antes de seguir-mos adiante sobre alguns exemplos de publicidade Nativa, vamos nos familiarizar com o estado e o cenário do Native Ads.

  • Quase metade dos consumidores não têm ideia sobre o que é e como se parece um Native Ads.
  • Dos consumidores que o fazer, 51% são céticos
  • Três em quatro editores implementam uma forma de publicidade nativa em seus sites.
  • 90% dos editores têm ou planejam lançar campanhas de publicidade nativas.
  • 41% das marcas já usam o Native Ads como parte de sua estratégia de Marketing Digital.

De acordo com ou relatório da Copyblogger de 2014

  • 49 por cento dos entrevistados não sabem o que é publicidade nativa
  • 24 por cento dificilmente estão familiarizados com isso
  • Outros 24% são um pouco familiares
  • Apenas 3% são muito bem informados

O que é publicidade nativa na Realidade?

Publicidade nativa é o uso de anúncios pagos que combinam com a aparência e a função do formato da mídia em que eles são exibidos.

Os anúncios nativos são comuns em feeds de redes sociais ou na forma de conteúdo recomendado em uma página web.

Ao contrário dos anúncios em formatos tradicionais ou dos banners, a publicidade nativa não se parece com anúncios.

Ela parece pertencer ao fluxo editorial da página. A chave da publicidade nativa é que ela não é disruptiva: ela mostra o conteúdo publicitário ao leitor sem destoar de maneira exagerada.

Exemplos de Anúncios Nativos

Exemplos de Anúncios Nativos

 

Anúncios “in-feed”

Anúncios que aparecem em seu feed de notícias nas redes sociais (ou seja, seu feed do Facebook ou do Twitter)

Links patrocinados e em resultados de busca

Links de anúncios que aparecem na parte superior dos resultados de busca do Google ou na barra lateral

Recomendações de conteúdo

Artigos recomendados que aparecem abaixo do artigo que você acabou de ler, oferecidos por uma plataforma de descoberta de conteúdo (como a Outbrain!)

5 plataformas de Native Ads mais famosos

Atualmente as plataformas de Native Ads mais conhecidas e usadas no Brasil são Taboola e Outbrain, porém não são as únicas. Confira abaixo a lista com as principais ferramentas do mercado do Native Ads.

Taboola

Plataforma de Native Ads mais usada no Brasil e no mundo. Possui sites como MSN, Estadão e Terra no seu portfólio de sites, um dos maiores do país.

Outbrain

A Outbrain se destaca por incluir os sites das principais revistas da editora Abril no seu portfólio, como Veja e Exame. O valor mínimo de orçamento diário para usar a plataforma é de R$ 266,67.

UOL Ads

Você já conhece o UOL, certo? Com o UOL Ads você pode criar anúncios dentro do portal e sua vasta rede de sites, como Folha de São Paulo, RollingStone e Band.

AdNow

Menos conhecida no Brasil que as plataformas anteriores, está presente em todo o mundo e possui parceiros como AliExpress e Amazon.

Revcontent

Outra plataforma que não é muito popular no país, mas que também possui parceiros em todo o mundo, com destaque para Forbes e Walmart.

Cada uma das plataformas tem características próprias que devem ser levadas em consideração antes de iniciar sua campanha. Por isso, antes de definir sua plataforma, pesquisa a mais adequada para o seu planejamento.

As maiores plataformas sociais do mundo geram receita com anúncios nativos em feed, incluindo Facebook, Twitter, Instagram e Tumblr.

A indústria editorial está rapidamente fazendo o mesmo, pois empresas como Time Inc, Forbes, Wall Street Journal, New York Times e USA Today continuam a introduzir novas integrações de publicidade em desktops e dispositivos móveis que combinam a forma e a função de seus feeds editoriais. .

Por que os profissionais de marketing recorrem cada vez mais à publicidade nativa?

  1. A publicidade nativa funciona. 53% dos consumidores olham mais para os anúncios nativos do que para os anúncios tradicionais. Os anúncios nativos geram um aumento de 18% na intenção de compra, e o engajamento visual com a publicidade nativa é o mesmo, e até ligeiramente maior, que com o conteúdo originalmente editorial.
  2. A publicidade nativa combate a fadiga publicitária que é o que acontece quando o público fica entediado de ver anúncios. Depois de um tempo, eles simplesmente param de prestar atenção. Os anúncios nativos expõem a marca entre o conteúdo editorial, de modo que não canse o público. Contanto que o conteúdo seja relevante e interessante, a publicidade nativa continuará engajando o público.
  3. Os consumidores sabem que os anúncios nativos são uma forma de publicidade, mas não se importam! Em um estudo recente realizado na Universidade de Stanford, os pesquisadores descobriram que a publicidade nativa não engana ninguém. Os consumidores estão perfeitamente cientes de que estão vendo uma forma de publicidade. Porém, os anúncios nativos ainda têm um efeito significativo sobre o comportamento de compra.

Publicidade nativa na jornada do comprador

Satander - Jornada do Comprador

O Santander, banco comercial e empresa de serviços financeiros com sede na Espanha, lançou uma campanha para novos empréstimos ao consumidor. Analisou o caminho da conscientização e decisão dos clientes e desenvolveu uma estratégia de publicidade nativa e convencional para a jornada daquele comprador.

Jesper compartilha a história de um cliente real do Santander, desde o conhecimento da marca até a solicitação de um empréstimo.

Um possível cliente vê um artigo compartilhado pelo Santander no Facebook sobre como as melhorias na casa tornam a casa mais valiosa.

Quatorze minutos depois, o prospecto lê um artigo relacionado do Santander sobre como obter as melhores taxas de juros ao contratar empréstimos para um projeto de melhoria da casa. Nesse ponto, o Santander coloca um cookie no computador e redireciona o cliente em potencial com anúncios gráficos enquanto visita outros sites.

Três dias depois, o prospecto clica em um anúncio no Santander e lê um artigo do Santander sobre as quatro demandas mais importantes ao obter um empréstimo para melhoria da sua  residência. Dois dias depois, o potencial cliente pesquisa no Google e clica em um anúncio de busca do Santander, chegando a uma página do Santander onde ele inicia um pedido de empréstimo.

Um dia depois, o novo cliente faz o upload de seus documentos finais e recebe aprovação para seu empréstimo.

Considerações Finais

Publicidade Nativa - O que é

As empresas já começaram a implementar e migrar para a publicidade nativa por causa de sua capacidade de atrair a atenção dos consumidores e atrair o engajamento.

Lembre-se, verdadeiros anúncios nativos são:

  • Promoções pagas por marcas exibidas em canais que não são de sua propriedade
  • Entregues in-stream e correspondem à experiência do usuário existente do canal no qual eles estão sendo exibidos
  • Geralmente baseado em conteúdo para corresponder ao conteúdo social ou editorial que os usuários já estão esperando e consumindo
  • Divulgado como promoções pagas com intenção comercial, principalmente usando as tags “Patrocinado” ou “Anúncio”

Você acha que a publicidade nativa é antiética e intrusiva, ou simplesmente uma fantástica oportunidade de negócio? Deixe-nos saber nos comentários abaixo!

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Scroll to Top